quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Matrix Reloaded

A cada fim de ano é usual fazer-se o chamado “balanço”. Posso até estar enganado quanto à epistemologia da palavra, mas para mim “balanço” refere-se a algo que terminou. É certo que termina um ano e começa outro. Mas tal como a hora, o dia ou o mês, aquilo a que se convencionou chamar ano é “simplesmente” uma forma de o Homem conceptualizar a Natureza, a vida. E a vida não acaba hoje à noite, pelo menos espero. Por isso, prefiro chamar-lhe “relatório de progressão”.

Criei este blogue com o objectivo de opinar sobre o clube do qual sou adepto - o Futebol Clube do Porto e sobre o desporto em Portugal, dando primazia ao futebol. Em 2008 passei a ver o FCPorto e o futebol português de forma diferente. Passei a vê-los também pela blogosfera. Farto da indecência – não tem outro nome - dos jornais desportivos, encontrei na blogosfera um conjunto de informação, devidamente tratada, que nunca encontraria em qualquer jornal. Os blogues aqui do lado são um bom exemplo disso. E quando digo que é uma informação tratada, é uma informação onde a subjectividade normal de alguém que gosta do seu clube, não lhe tolhe a visão, nem o espírito crítico. Tento que o flamadraculae siga o mesmo caminho.

Confesso que saído de uma gripe – efeitos colaterais da visita ao “galinheiro” -, tive pouca vontade de acompanhar a vida desportiva na última semana. Onde estou, a banda larga ainda é um conceito desconhecido e do que pude ver das capas dos jornais desportivos muito pouco mudou. A venda de ilusões continua. Sidnei vai ser campeão. Suazo também e já aparece com o “pantera negra”. Derlei também. Liedson também. Todos menos o tricampeão.

Mas só que a ilusão não se resume a manchetes de jornais. A ilusão vai mais além. Os mesmos que falam em verdade desportiva, são aqueles que tornaram a Comissão Disciplinar da Liga e o Conselho de Justiça da Federação uma neo-inquisição e em instrumentos de “caça às bruxas”, ao arrepio dos elementares princípios do Estado de Direito Democrático e das decisões da única Justiça que temos – a dos tribunais. São também aqueles que, ano após ano, fecham os olhos à concorrência desleal dos salários em atraso, das garantias de pagamento ao fisco com acções sem valor de mercado definido, e às OPAS chinesas caídas dos céus. Não vamos falar da oferta de Joe, que isso roça o absurdo. O que anda a fazer CMVM? Talvez tenha ido “almoçar” com o Banco de Portugal.

Como convém, o título deste post não é um acaso. Ontem à noite revi Matrix. Para quem não conhece, Matrix é um filme de ficção científica onde que tudo aquilo que nos rodeia mais não é do que Matrix, um programa informático. A Humanidade vive uma ilusão criada e manipulada por computador. Só alguns humanos (re)conhecem Matrix e lutam contra ela - a resistência liderada por Morpheus que procura Neo, “o Eleito” e tenta destruir o software e libertar humanidade da ilusão onde vive.

Matrix entrou-me em casa pelo Canal Hollywood, andava eu às voltas com a imaginação para encontrar a melhor forma de fazer o tal relatório de progressão. E fez-se luz. O futebol português mais não é do que um Matrix à portuguesa, onde Liga, Federação e jornais desportivos mais não são do que uma ilusão de Instituições credíveis e competentes e ou de jornalismo de qualidade.

Mas há sempre alguém que resiste. Há sempre alguém que (re)conhece a Matrix e luta contra ela insistentemente - a grande família portista. 2008 foi um ano de luta e de resistência. A Matrix, com os seus “agent Smith” – agente que garante a manutenção da ilusão e têm como principal objectivo aniquilar Neo, e as suas sentinelas – uma espécie de cão-de-fila que fareja resistentes - alargou o seu raio de influência e conseguiu penetrar em locais até então protegidos da grande ilusão. E conseguiu mesmo fazer com que instituições normalmente protegidas pela Matrix futebolística portuguesa se vergassem à ilusão. Platini, verdadeira ilusão do futebol moderno, foi o agent Smith de serviço. Só que os tribunais ainda não fazem parte da Matrix, seja ela nacional, seja europeia, e a Resistência mais uma vez venceu.

Matrix teve duas sequelas. A Matrix do futebol português renovar-se-á, certamente, a cada ano que passa. Vai haver luta e resistência e cada um de nós, portistas da blogosfera, será um “Neo” pronto a derrotar um qualquer “agent Smith” que se atravesse no caminho da vitória. É que felizmente, ao contrário do filme, na maior parte das vezes, a Resistência vence a batalha e a Matrix tem que ser reinstalada.

Bom ano.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Porque é Natal...

Fica um pouco de sabedoria popular.

Ensinou-me a minha avó que "pelo Natal, salto de pardal; em Janeiro, salto de carneiro; em Fevereiro, uma hora por inteiro".

A todos aqueles que me brindaram com a visita a este neofito blog, desejo um Feliz Natal.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Fui ver o campeão de Inverno e foi tão bonito!

Tal como prometi aqui fui ver o Benfica – Nacional de ontem à noite. Isto de ser portista em Lisboa tem destas coisas.

Era eu catraio e jogador da bola “federado” - como se dizia na altura com a devida pompa – e passava as matinés de domingo entre o Estádio da Luz, o Estádio de Alvalade e o Campo do Oriental, já que boa parte dos meus amigos - também “federados” - ou eram adeptos do Benfica ou do Sporting. Não sei se ainda é assim, mas nos finais dos anos 80, inícios dos anos 90, “jogador da bola” tinha direito a entrar nos Estádios sem pagar.

Ontem foi mais ou menos assim, tirando a parte do jogador federado - larguei o sonho de ser guarda-redes do FCPorto quando Vítor Baía se tornou titular indiscutível!

Com um convite na mão, lá me dirigi ao Estádio da Luz. Bem comportado, deixei o carro à porta de casa e fui de metro. Saí na estação do Alto dos Moinhos, na rua onde cerca de vinte anos antes me cruzei com o autocarro do FCPorto de onde sobressaía a figura de…Rui Águas.

Percorrendo cerca de 500 metros, entre bancas de cachecóis e cachorros – onde anda o belo do courato!? – lá cheguei ao meu lugar. Havia cerca de 15 minutos de jogo e, num canto, o Benfica quase marcava. Valeu o guarda-redes do Nacional, licenciado em Educação Física, como informou Valdemar Duarte aos microfones da TSF. Sim, ontem tive direito a tudo. Vi o Benfica na Luz e ouvi o relato de Valdemar Duarte.

Próximo lance: Yebda “aniquila” dois jogadores do Nacional no meio campo e nem amarelo leva. Diz Valdemar Duarte: “este jogador é um puro sangue que ainda não foi domado, ainda não tem sentido posicional”. Diz o repórter de campo: “muita sorte teve em não levar amarelo”. Melhor é impossível? Não. Já lá vamos.

Decorre o jogo e constato que Jorge Ribeiro não é propriamente adulado pela massa adepta benfiquista. Nem Di Maria. Nem Cardozo. Yebda e Katso – para os amigos – são.

Substituição no Nacional. Sai Mateus. Devagar, devagarinho. Quase parado. Compreende-se, o homem fartou-se de correr e de fazer a vida negra a Valdermar Duarte. Comenta o senhor: “tivesse Mateus um amarelo e estava sujeito a levar outro”. Eu não disse que melhor era possível!?

O Benfica pressiona. Consegue finalmente uma expulsão por acumulação de amarelos de um jogador do Nacional. O povo benfiquista vibra com esse feito notável. Ouve-se Benfica, Benfica, Benfica. Agora é que a águia vai voar, como vinha escrito num jornal lisboeta, pensei eu. Mas a bola não entra, e o Nacional ainda faz uma perninha lá na frente. Falta um minuto para acabar. Os primeiros adeptos do Benfica abandonam o estádio cabisbaixos e a mandar o treinador para o outro lado – para Espanha, está claro.

Aproveito a deixa e também saio. Vou já em direcção ao Alto dos Moinhos, quando “gela meu coração”. Golo do Benfica. Numa fracção de segundo viajei no tempo até 1990 e lembrei-me dos golos de Magnusson nos minutos de descontos, aquando do antepenúltimo campeonato do Benfica. De repente, alguém me bate no ombro eufórico: “Foi anulado. Foi anulado. Não foi golo”. Finalmente, reconciliei-me com a História.
-
PS: Soube agora que Nuno Gomes foi expulso no final do jogo, alegadamente, por palavras dirigidas ao árbitro já no tunel de acesso aos balneários. Certamente terá dito: "o senhor árbitro foi extremamente incorrecto".

domingo, 21 de dezembro de 2008

Descompressão de Natal.

Depois de 9 jogos a vencer, o FCPorto entrou hoje em campo em nítida descompressão. Desde muito cedo a equipa criou oportunidades, mas também desde muito cedo se percebeu que na mente dos jogadores estava a ideia de que, mais minuto menos minuto, iriam marcar o golo que lhes daria a vitória, sem que para tal tivessem que pressionar o adversário. E isso irritou-me. E irritou-me que no regresso do intervalo essa postura se mantivesse. O Marítimo discutiu sempre o jogo, tendo duas boas oportunidades de golo no seguimento de jogadas de bola parada - uma delas muito idêntica à do segundo golo do Estrela da Amadora. Nos últimos minutos, Lori Sandri constatando que a sua equipa já não saia em contra-ataque, lançou Manú. Foi que se viu. Os cinco minutos de descontos foram passados no meio campo portista, pertencendo àquele jogador a última oportunidade de golo do jogo. O FCPorto tinha em campo Rodriguez, Lisandro e Hulk. Tarik, lesionado, não foi convocado. Restou a Jesualdo Ferreira recorrer a Mariano e a Farias. Foi o que se viu.

O Leixões empatou. Mantemos o terceiro lugar. Resta saber a quantos pontos do Benfica. Uma vitória sobre o Marítimo faria com que o Benfica entrasse pressionado amanhã na Luz. O resultado de hoje fará com que entre motivado. Vamos lá ver.
--
PS: Quanto à votação aqui ao lado, agradeço a participação. Outros amanhãs virão. Boas Festas.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Ontem, amanhã e depois.

Ficámos ontem a saber que vamos defrontar o Atlético de Madrid para os oitavos de final da Liga dos Campeões. Mesmo não alinhando em euforias, constato que, pelos menos teoricamente, valeu a pena ficarmos em primeiro lugar, não obstante termos umas contas a ajustar com a equipa da Baviera.

O Sporting vai defrontar o Bayern de Munique. Com a qualificação para os oitavos de final garantida, um amigo meu sportinguista, nada habituado a essas coisas, surpreendeu-me com uma questão. Perguntou ele: e agora como é que é no sorteio. Pode calhar qualquer equipa? Não consegui dar resposta cabal. E à interjeição de que a minha “equipa ia lá quase todos os anos”, também nada respondi, mas pensei: “isto de ir aos oitavos não é como lavar os dentes, como diz o outro; é como respirar. Tenho umas noções de como se respira, mas não me interessa muito saber como se fazem as trocas gasosas.”

Comentando já o sorteio com esse meu amigo, ao mesmo tempo que ele consultava um blog sportinguista, reparei num comentário que dizia mais ou menos isto: “ainda bem que nos saiu uma equipa forte. Mesmo que possamos perder a eliminatória, podemos aproveitar para aprender alguma coisa.” Não obstante as boas campanhas europeias do Sporting nos últimos anos, julgo que é uma análise realista. Mas é uma análise que nunca se fazer em relação ao FCPorto.

O não ter calhado ao FCPorto um Inter de Milão ou um Chelsea e, ao invés, ter calhado uma equipa que não terá mais do que duas participações na Liga dos Campeões e ainda há pouco tempo militava no segundo escalão espanhol, só vem reforçar a obrigatoriedade e a responsabilidade de Jesualdo Ferreira e da equipa de atingir os quartos de final.

A par do Manchester United, o FCPorto é a equipa que tem mais presenças na mais importante competição de clubes do Mundo. Num dos raros anos que não se fez representar, aproveitou a deixa e venceu uma Taça UEFA. Este ano qualificou-se pela oitava vez para os oitavos de final, sendo a terceira consecutiva. Pela segunda vez consecutiva termina a fase de grupos em primeiro lugar, à frente de equipas como o Liverpool, vencedor em 2005, e Arsenal, finalista vencido em 2006.

Se existir alguma lógica no futebol e se tudo correr dentro da normalidade, o FCPorto de Fevereiro deverá estar mais entrosado e já se falará de uma possível transferência de Givanildo “Hulk” para outro grande europeu. Rodriguez já se terá imposto definitivamente na equipa e Licha já deverá ter contribuído com mais meia dúzia de golos para o primeiro lugar isolado do FCPorto. Sonho? Não. Objectivo.

O futuro começa amanhã.

Amanhã e depois joga-se a possibilidade de o FCPorto conseguir pela primeira vez esta época atingir o primeiro lugar da classificação. À hora que escrevo, diz-me a RTPN que a Académica resistiu ao ataque do Sporting e conquistou um ponto. Quer dizer que o Sporting perdeu dois. Mas vamos ao que interessa.

António Tadeia, no suplemento desportivo do Diário de Notícias - DN Sport, provavelmente depois de ter ouvido Dias Ferreira insurgir-se contra a denominação de “campeão de Inverno”, decidiu baptizar como “campeão de Natal”, a equipa que festejar o aniversário do nascimento de Jesus Cristo em primeiro lugar da tabela. Fez-me o favor, igualmente, de traçar os vários cenários em que Benfica, FCPorto e Leixões podem conseguir o referido título. “Então éssim”:

Benfica: 1.º classificado, 25 pontos, 24 golos marcados, 10 golos sofridos, é campeão de Natal se ganhar ao Nacional, o Leixões não vencer o Estrela da Amadora e o FCPorto não vencer o Marítimo por mais de dois golos; perder com o Nacional, mas o Leixões e o FCPorto não vencerem os seus jogos.

Leixões: 2.ª classificado, 23 pontos, 16 golos marcados e 11 sofridos, é campeão de Natal se ganhar ao Estrela da Amadora amanhã e o Benfica perder com o Nacional na segunda-feira.

FCPorto: 3.º classificado, 23 pontos, 20 golos marcados e 9 sofridos, é campeão de Natal se ganhar ao Marítimo, se o Leixões não ganhar ao Estrela da Amadora e Benfica perder com o Nacional. António Tadeia esqueceu-se de que se o FCPorto ganhar por mais de dois golos e o Benfica empatar, também serve.

O futuro é já amanhã.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Assunção de regresso.

Liga dos Campeões: resultado do sorteio

Chelsea - Juventus
Villarreal - Panathinaikos
Sporting - Bayern de Munique
Atletico de Madrid - Porto
Lyon - Barcelona
Real Madrid - Liverpool
Arsenal - Roma
Inter - Manchester United

Os jogos dos oitavos-de-final terão lugar a 24/25 de Fevereiro (1.ª mão) e 10/11 de Março (2.ª mão).

Reacções ao sorteio só mais logo.

No entanto, vamos já preparar uma recepção condigna a Paulo Assunção.
Sugestões aceitam-se.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Portador de alegrias.

O Benfica perdeu hoje na Luz, por 1-0, com o Metalist da Ucrânia. Ficou em último lugar do grupo com 1 ponto. Grupo em que pontificavam colossos europeus como Hertha de Berlim, Galatasaray e Olympiakos.

Poderíamos falar da prestação do Benfica pela negativa, notando que os seus vergonhosos resultados anulam sistematicamente, ano após ano, as contribuições de FCPorto, Braga e Sporting para o ranking de Portugal na UEFA.

Mas não. Basta de tristezas. Vamos ver isto pelo lado positivo. Qual é a equipa portuguesa que, depois do FCPorto, nos tem dado mais alegrias? Claro está que é o Benfica.

Benfica, “o portador de alegrias”.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Em primeiro lugar, na noite de segunda-feira?

Vencemos brilhantemente o Estrela da Amadora, por 4-2, na Reboleira, local de más memórias desportivas. Destaco os seguintes jogadores:
Rodriguez - Como em todos os jogos, só faltou comer a "relba". Desta vez bisou. Já vai longe o "bidão de ouro" português (talvez o Aimar queira ficar com ele);
Hulk - Que golo! Só custa 10 milhões!? Está barato. A claúsula de rescisão de 40 milhões de euros é capaz de ser um pouco baixa;
Licha - Sempre a somar. Para quem dizia que o homem só queria dinheiro, aqui está a resposta;
Fucile - Garra e qualidade do princípio ao fim do jogo. A infelicidade no primeiro golo do Amadora não o influenciou. Para quando outro como ele, na esquerda?
Fernando - Enorme. Para mim a principal diferença entre o FCPorto das 3 derrotas seguidas e o FCPorto das 9 vitórias consecutivas. Melhorando o lançamento do contra-ataque, ficará num patamar superior ao de um Paulo Assunção dos melhores momentos.

No domingo há jogo no Dragão contra o Marítimo. Se vencermos, chegaremos a segunda-feira em primeiro lugar, já que o jogo do Benfica contra o Nacional será nesse dia, às 19.45h.

Será que o Benfica aguentará a pressão? Ou será que na próxima segunda-feira, pelas 22.00h, o FCPorto manterá o primeiro lugar?

Se quiser fazer um prognóstico ainda antes dos jogos, vote aqui ao lado.

PS: Durante o jogo, constatando a atitude - e a qualidade - dos jogadores do Estrela, lembrei-me várias vezes de que o ordenado mensal de um qualquer jogador do FCPorto provavelmente chegaria para liquidar um mês de salários em atraso de todo o plantel do Estrela da Amadora. Alguém tem que pôr cobro às situações de salários em atraso. Já aqui pus em causa a imparcialidade de Evangelista. Desta feita, apoio a proposta do sindicato de não se iniciar a próxima época sem que todas as equipas cumpram efectivamente todos os requisitos orçamentais. Só assim se garantirá a verdade desportiva e não com processos disciplinares fundamentados em obras de ficção de qualidade discutível.
-
Post actualizado em 18/12/2008.

E assim, de repente...

Sabemos que vai haver jogo na Reboleira e que vamos defrontar o Leixões, no Dragão, para a Taça de Portugal, lá mais para Janeiro.

O próximo cliente na Liga dos Campeões, só saberemos na sexta-feira.

PS: Tive uma visão. Sai o Inter do mais recente doutor honoris causa.

Estrela: passo maior que a perna.

Criado em Marvila (junto ao Tejo e no meio de algumas das belas quintas descritas por Almeida Garret nas suas Viagens*) recordo-me dos tempos em que o Estrela da Amadora, o Alverca ou o Olivais e Moscavide vinham jogar ao campo do Oriental. Estávamos no final dos anos oitenta, início dos anos noventa, todos militavam na 2.ª divisão do futebol português e lutavam com clubes como o Santa Clara ou o Campomaiorense pela subida de escalão. Ainda não havia Liga de Honra e os resumos dos jogos passavam no Domingo Desportivo, apresentado por Rui Tovar ou Ribeiro Cristóvão.

Muitas tardes de Domingo foram passadas no Estádio Eng.º Carlos Salema a assistir aos jogos do COL, a saborear o “belo do courato” e o sumol de laranja. Spur Cola também era opção. Os jogos contra o Amadora, o Alverca ou o Olivais e Moscavide eram autênticos derbys da 2.ª divisão.

Desde a criação da Liga de Honra, hoje Liga Vitalis, o Oriental ora passeia pela terceira divisão, ora pela segunda. O actual treinador é Carlos Manuel – aquele de Estugarda. Sucedeu a Pedro Gomes (despedido esta época por maus resultados), que por sua vez tinha sucedido a Chalana (integrado na equipa técnica de Camacho – o resto já se sabe).

Amadora e Alverca conseguiram a subida à 1.ª divisão. O Olivais e Moscavide conseguiu atingir a Liga de Honra e lutou pela subida. O Alverca extinguiu o futebol profissional. O Estrela da Amadora tem salários em atraso e uma situação financeira e económica que não augura futuro muito diferente. Olivais e Moscavide, centro de treinos do Benfica e Sporting dos últimos anos, depois de ter atingido a Liga de Honra, tem salários em atraso e luta para não descer para a 3.ª divisão.

Que eu saiba, o Oriental não tem salários em atraso. Será por nunca ter dado – ou conseguido dar – um passo maior do que a perna, ou seja, por nunca ter conseguido atingir de novo a 1.ª divisão? Tenho a certeza que sim. Ser um clube simpático não chega e a injecção de dinheiro extra receitas da actividade desportiva não dura sempre.

A lição que a História nos parece ensinar, com Alverca, Amadora, Estoril ou Olivais e Moscavide, é que clube em que Benfica ou Sporting tenham influência desportiva ou financeira, normalmente relacionada com a construção civil, mais cedo ou mais tarde chega a um beco sem saída.

Pela verdade desportiva, espero que os jogadores do Estrela da Amadora compareçam na Reboleira. Se assim não acontecer, que sirva de exemplo aos responsáveis da Liga.
--
*"Assim o povo, que tem sempre melhor gosto e mais puro do que essa escuma descorada que anda ao de cima das populações, e que se chama a si mesma por excelência a Sociedade, os seus passeios favoritos são a Madre de Deus e o Beato e Xabregas e Marvila e as hortas de Chelas. A um lado a imensa majestade do Tejo em sua maior extensão e poder, que ali mais parece um pequeno mar mediterrâneo; do outro a frescura das hortas e a sombra das árvores, palácios, mosteiros, sítios consagrados todos a recordações grandes ou queridas. Que outra saída tem Lisboa que se compare em beleza com esta? Tirado Belém, nenhuma. E ainda assim, Belém é mais árido. " Almeida Garret, in Viagens Na Minha Terra.

Proximamente: Quando o FCPorto deu a mão ao Oriental.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Tarik na Bola, Tarik no Record, Tarik no Jogo.

Na Bola: faltou ao treino.

Tarik ausente do treino portista
O extremo marroquino Tarik Sektioui, que foi titular frente ao Cinfães, para a Taça de Portugal, não marcou hoje presença no treino do FC Porto. Depois da Taça de Portugal, o FC Porto iniciou a preparação para o jogo, de quarta-feira, frente ao Estrela da Amadora, em atraso da nona jornada da Liga, e a principal ausência foi Tarik, enquanto o lateral romeno Sapunaru continua a recuperar da respectiva lesão. Os jovens Ventura e Candeias foram para os trabalhos dos sub-21.

No Record: alvo de críticas, faltou ao treino, não se sabe bem porquê.

Tarik ausente da sessão de trabalho
SAPUNARU TAMBÉM NÃO ESTEVE NO RELVADO
O marroquino Tarik foi a principal nota de destaque da sessão de trabalho portista desta manhã no Olival. O jogador, um dos alvos das críticas de Jesualdo Ferreira após o embate com o Cinfães na Taça de Portugal, não esteve presente no treino, sem que exista ainda uma explicação oficial para o sucedido. De resto, nota para a ausência do lateral romeno Sapunaru, que continua a debelar uma mialgia de esforço. O guarda-redes Ventura está ao serviço dos Sub-21 e, por isso, o jovem Ruca foi chamado aos trabalhos da equipa principal.

No Jogo: Faltou ao treino por lesão - que o impediu de dar o seu mehor em Cinfães - e será reforço para Janeiro.

Tarik falha deslocação à Amadora
Tarik não será opção para Jesualdo Ferreira na Amadora e é possível que também falhe o jogo com o Marítimo, o último antes do período de férias de Natal. O marroquino foi titular em Cinfães, mas voltou a sentir dores no tornozelo direito, lesionado no início da temporada, cuja recuperação se tem revelado algo complicada. No sentido de resolver definitivamente o problema, o marroquino deve ser poupado aos últimos jogos deste ano, voltando a ser opção em Janeiro.
Sublinhe-se que a ausência de Tarik nos próximos dois jogos não tem uma ligação directa ao rendimento registado em Cinfães, ainda que aquele se tenha ressentido dos problemas físicos sentidos pelo jogador. Jesualdo Ferreira não gostou da atitude de alguns jogadores e Tarik não está imune às críticas do técnico, mas o treinador do FC Porto sabe quais são as limitações do marroquino e até que ponto as mesmas influenciam o seu rendimento. De qualquer forma, com um calendário preenchido e o FC Porto envolvido em todas as frentes, Tarik ainda pode ser muito útil.

Espero estar enganado mas há qualquer coisa que não bate certo na notíca do Jogo. Então lesionou-se no tornozelo direito no início da temporada, não fez praticamente nenhum jogo devido ao Ramadão e chega a Dezembro com a mesma lesão. Isto realmente há lesões muito chatas. Ainda para mais quando se aproxima o último ano de contrato e o tecto salarial aumentou exponencialmente com as últimas contratações. Ou então é só um “torcicolo à Helton”, desta vez no pé. Ou então…logo se vê em Janeiro.

PS: Não é Tarik. É Sektioui.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Beto "Mãozinhas" rouba "Taça do Reyes".

Depois da UEFA, a Taça de Portugal. Continuam a roubar Taças ao Benfica. Agora foi Beto "Mãozinhas" quem roubou a Taça do...Reyes.

PS: O FCPorto venceu por 4-1 o Cinfães, da 3.ª divisão. Parece que ao intervalo aquilo estava a zeros. A segunda parte esteve empatada a um golo e só aos 78` é que se começou a resolver. Quero acreditar que foi por ainda não terem feito a digestão da chanfana do almoço. Isto de jogar à 15h, nas beiras, tem que se lhe diga!
--
PS2: À Casa dos Arcos de Valdevez, em Lisboa, parabéns.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Baby Arsenal roubado pelo…Baby FCPorto.

O Público de ontem intitulava a notícia da vitória do FCPorto sobre o Arsenal da seguinte forma: Foi fácil roubar o doce ao "baby Arsenal".

Tal como no campeonato português, é difícil resistir à tentação de menosprezar as vitórias europeias do FCPorto. Se no campeonato é transmitida a ideia de que o plantel do Sporting é sempre o mais jovem – o que não corresponde à verdade; tem sido o do FCPorto – só faltava agora afirmar que o FCPorto só conseguiu triunfar porque o Arsenal jogou com uma equipa de “benjamins”.

Aproveitando o que escreve Pedro Marques Costa, no jornal O Jogo fica a demonstração de que quem roubou o doce ao Baby Arsenal foi o Baby FCPorto.

11 menos rodado
Jesualdo Ferreira não se enganou: o FC Porto tem mesmo o onze menos experimente dos 16 que resistiram na Liga dos Campeões e é também a quarta equipa com a média de idades mais baixa (25,5). Inferior, considerando os onzes mais utilizados nesta primeira fase da competição, só Arsenal (24,7), Barcelona (25,1) e Manchester United (25,3), que, curiosamente, não se atravessarão no caminho do FC Porto nos oitavos-de-final. Os portistas, como Jesualdo Ferreira referiu, são mesmo uma equipa jovem, mais ainda no campeonato do que na Champions, onde Fucile (24) substitui Pedro Emanuel (33) entre os habituais titulares. Mais importante do que a idade é, muitas vezes, a experiência adquirida através da competição. E, aqui, não há dúvidas: o FC Porto tem os jogadores menos experientes dos 16 clubes que continuam na Liga dos Campeões. De longe. Em média, cada um dos titulares portistas da primeira fase da prova tem apenas 23 jogos disputados nas competições europeias, surgindo no segundo lugar o Atlético de Madrid e o Sporting, com 31 jogos por jogador. Dos possíveis adversários, a equipa de Madrid é mesmo a mais inexperiente, seguindo-se Villarreal (33 jogos) e Lyon (35). Em contrapartida, no lote de equipas mais rodadas estão Inter de Milão (49), Chelsea (59) e Real Madrid (64).

Apesar da teórica falta de experiência dos portistas - têm cinco jogadores dos habituais titulares com menos de 20 jogos nas competições europeias -, os factos mostram outra realidade: o FC Porto voltou a apurar-se, pela segunda vez consecutiva, no primeiro lugar. Também por isso, Jesualdo afirmou que a equipa "cresceu uns anos de futebol" pelo jogo que realizou com o Arsenal. Vão precisar deles...

Também se destaca no campeonato nacional
O FC Porto tem o plantel com a média de idades mais baixa da Liga Sagres, contabilizando apenas 22 anos. O Sporting tem, em média, mais dois anos (24), e o Benfica mais três (25), enquanto o Trofense é a equipa mais velha, com uma média de 28 anos. Para além do onze mais utilizado na Liga dos Campeões (25,5 de média) ser dos mais novos da prova, os portistas têm também, a nível interno, o plantel mais jovem do campeonato. Convém, no entanto, referir que nas contas entram também vários jogadores da formação que estão inscritos na Liga e que não são usados. Candeias (na foto) foi o portista mais jovem a entrar nas opções.”

PS: Em doze jogos para as competições europeias contra equipas inglesas, em casa, o FCPorto empatou seis e venceu outras tantas. Provavelmente houve um baby boom em Inglaterra.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Somos o primeiro.

Daqui
Até aqui
Foi um saltinho.

Dos lenços brancos do FCPorto 0 - Kiev 1, à vitória de ontem à noite no Dragão contra o Arsenal, foi um saltinho. Digo um saltinho, porque jovens como Fernando, Tomás Costa ou Givanildo "Hulk", ainda têm muito para dar ao FCPorto. Aquele passe de Fernando para o golo de Licha foi de "maestro".
--
PS: O jogo de ontem deu para perceber que, finalmente, Jesualdo Ferreira conseguiu incutir nos jogadores aquilo que Bobby Robson apelidava de “killer instinct”. Ao contrário do embate na Luz, em que a equipa não procurou “matar” o jogo e saiu com um frustrante empate, ontem tudo fez para, pelo menos, igualar o resultado de Londres. Não conseguiu, mas valeu a intenção.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Pelo prestígio e pela honra.

O início da época 2004/2005 foi, a todos os títulos, atípico. Não obstante os pontos perdidos no Dragão, desde cedo, para a Liga, dos empates em casa com o CSKA de Moscovo – que venceria a Taça UEFA - e PSG e das derrotas em Paris e Londres, o FCPorto de Fernandez conseguiu em Dezembro, qualificar-se para os oitavos de final da Liga dos Campeões, onde viria a ser eliminado pelo Inter (não me esqueço das lágrimas de Costinha), vencer a Taça Intercontinental contra o Once Caldas e ser “campeão de Inverno”.

O jogo de logo à noite no Dragão, contra o Arsenal, faz recordar o FCPorto – Chelsea daquela época, se bem que em circunstâncias diferentes e que espero não influenciem a forma como o FCPorto irá encarar o jogo.

Naquela noite de Dezembro de 2004, o Chelsea, tal como o Arsenal, estava já classificado. O FCPorto, além de uma vitória sobre um Chelsea em ascensão, estava dependente de uma derrota do CSKA em Paris. Acresce que nesse dia dia/noite Pinto da Costa foi presente ao juiz de instrução criminal no âmbito do processo Apito Dourado. Ou seja, havia todas as razões para o FCPorto vencer o Chelsea.

Hoje, contra o Arsenal, já não se poderá dizer o mesmo. Com a qualificação garantida, espero que os jogadores do FCPorto façam valer o prestígio e a honra do clube. Nem que para tal, no balneário, antes do jogo, Jesualdo Ferreira passe o vídeo do sorriso trocista de Wenger.

Liga dos Campeões. FCPorto 1 - Artigo 1.04 - 0

Segundo noticia o Público, “o director de comunicação da UEFA, William Gaillard, confirmou à Lusa que o artigo 1.04 do regulamento de competições da Liga dos Campeões "está sob discussão", recusando, porém, esclarecer que tipo de alterações poderão eventualmente ser operadas.

Foi com base neste artigo que o FCPorto se deparou com a possibilidade de ser excluído da edição da Liga dos Campeões 2008/2009, em consequência da decisão da Comissão Disciplinar da Liga, ainda não transitada em julgado, no chamado processo Apito Final.

O TAS, contudo, arrasando as posições do Benfica, do Guimarães e da UEFA de Platini, sufragou a decisão do Comité de Apelo da UEFA e manteve o FCPorto na Liga dos Campeões. Em boa hora o fez para o futebol português. Imagine-se os resultados que Guimarães e Benfica conseguiriam na Liga dos Campeões!

O FCPorto por mérito próprio participa na Liga dos Campeões. Por mérito próprio conseguiu a passagem aos oitavos de final, pela terceira vez consecutiva. Por mérito próprio prepara-se para ficar em primeiro lugar do grupo, pelo segundo ano consecutivo (hoje temos umas continhas a ajustar Sr. Arséne Wenger!)

Nunca como nesta demanda interesseira de Benfica e Guimarães o comum adepto de futebol se interessou tanto por regulamentos da UEFA, artigos e respectivas alíneas ou conceitos jurídicos como sanção ou princípio da irretroactividade da lei penal. Eu não fui excepção. E, ou muito me engano, lá para Fevereiro haverá novos desenvolvimentos com a alteração do célebre artigo. Com base nos meus comentários a outros blogues, fica um pouco da história deste processo.


Quarta-feira, 14 de Maio de 2008
Apito Final. Recorrer do quê, para quem e para quê?
A propósito do Apito Final, dizia um comentador que o FCPorto, não recorrendo, ficará para sempre com a imagem prejudicada. Quanto a isso não há a menor dúvida. Mas ficaria sempre com a imagem prejudicada mesmo que recorresse. Se não, vejamos. O FCPorto há, pelo menos, 28 anos, ou seja desde que começou a ganhar campeonatos atrás de campeonatos é visto como o clube que só ganha porque corrompe os árbitros. Não importa ter a melhor equipa, o melhor treinador e jogar melhor. E nisso a comuncicação social teve, e tem, um papel fundamental. Basta ver as capas dos diários desportivos, em que o FCPorto só é manchete cada vez que é campeão europeu ou é goleado. Em tudo o mais não existe. Ou seja, por mais competente que seja dentro das quatro linhas, o FCPorto será sempre visto (certamente daqui a poucos anos isso vai mudar, audiências oblige) como a equipa a abater não só pelos rivais, mas também pela comunicação social (o que vão agora escrever sobre o Benfica sem o maestro!?). Outras das razões para o FCPorto não recorrer será certamente o facto de, na prática, não poder exercer esse direito. Caso existisse um Tribunal Desportivo, como existe em Itália, o processo de inquérito seria conduzido por um procurador/instrutor, seria julgado por um juiz, e poderia recorrer para outro juiz. Na nossa "justiça" desportiva, o próprio instrutor é quem julga, ou seja o presidente da Comissão de Disciplina da Liga. E que dá uma conferência de impressa para ler a decisão, como se de um espectáculo televisivo se tratasse. Logo aqui, vê-se a diferença para a Justiça em Itália. Em Portugal, quem investiga, é quem acusa e quem julga. E o que dizer do Conselho de Justiça da FPF. O instrutor/julgador já esclareceu que em todas as decisões que a CD da Liga, o CJ da FPF decidiu da mesma forma. Está tudo dito quanto à possibilidade de recurso do FCPorto. Mas dirão: então porque recorre o Presidente Pinto da Costa. Porque o Presidente Pinto da Costa poderá sempre recorrer aos tribunais judiciais da decisão do CJ da FPF, o que o FCPorto não poderia fazer, sem que de seguida fosse condenado à descida de divisão (sanção aplicável nesses casos). Enquanto não existir um Tribunal do Desporto, com juízes e procuradores nomeados pelo Estado, a justiça desportiva em Portugal nunca terá credibilidade, já que será sempre vista como a justiça aplicada por um clube ao outro. Muito bem esteve o FCPorto em não recorrer.

PS: Disse o instrutor/julgador que o regulamento disciplinar deveria prever uma sanção para o tráfico de influências, o que levaria a mais condenações. Certamente estaria a referir-se ao facto de o Presidente do SLB ter acertado a escolha de árbitros com o Major, ou ter diligenciado para que o Estoril conseguisse uma maior biliheteira com um jogo no Algarve.
--
Sexta-feira, 30 de Maio de 2008
Há Dias assim.
Dias Ferreira
"Não me parece que a UEFA castigue o FC Porto se Pinto da Costa for absolvido"
Dias Ferreira, jurista e conhecido sportinguista, foi dos primeiros em Portugal a levantar a hipótese de o FC Porto se confrontar com o actual cenário levantado na UEFA. Agora, perante o "procedimento disciplinar", Dias Ferreira tem uma leitura, para já, pouco drástica: "Parece-me que o órgão de Controlo e Disciplina assume uma posição de averiguação, perante os factos conhecidos, para emitir um parecer." Parecer? À pergunta, Dias Ferreira responde referindo que assim se deve entender, "pois a decisão será tomada pelo Comité Executivo". No mais, o processo agora conhecido "permitirá ao FC Porto exercer a sua defesa, explicando por que não recorreu da sanção aplicada pela Comissão Disciplinar da Liga". Será uma oportunidade de o FC Porto chamar à atenção da UEFA para que "ainda não há uma sentença transitada em julgado de Pinto da Costa". "Sustento que o recurso de Pinto da Costa para o Conselho de Justiça aproveita o FC Porto, pois não faria sentido a punição à instituição podendo o seu presidente vir a ser absolvido." Para Dias Ferreira "os clubes, em si, não praticam infracções, e, se Pinto da Costa for absolvido, não me parece que a UEFA castigue o FC Porto". Apesar desta posição de princípio, Dias Ferreira diverge dos que defendem a não-possibilidade de factos alegadamente ocorridos em 2004 poderem ser alvo de um normativo instituído em 2007. "Não está em causa a retroactividade, mas sim uma questão administrativa, de condições de admissibilidade." E dá um exemplo: "Um cidadão que tenha cometido um crime em 2004 terá um Registo Criminal limpo até que seja punido, e, se o for só em 2008, o Registo Criminal deixa de estar limpo e pode condicioná-lo. Ou seja: tenho dúvidas de que não se aplique uma sanção em 2008 por actos praticados em 2004…"

Uns Dias diz uma coisa, outros Dias diz outra:

Primeiro diz que é uma questão administrativa, depois já diz que “tenho dúvidas de que não se aplique uma sanção em 2008 por actos praticados em 2004”. Ou estamos perante uma questão administrativa, ou uma questão disciplinar. Parece que o Dr. Dias Ferreira quer transformar uma questão disciplinar, numa questão administrativa, para afastar o princípio da irretroactividade da lei penal, quando esta não beneficia o infractor.

Porque é que o AC Milan se inscreveu na Liga dos Campeões, já depois de ter sido condenado na justiça italiana? Obviamente, porque estamos perante um ilícito disciplinar e não perante o incumprimento de uma mera formalidade administrativa e, por isso, não pode ser penalizado por um facto anterior à vigência da nova lei sancionatória.
--
Quinta-feira, 12 de Junho de 2008
O FCPorto no Dubai
Esta semana li uma crónica em que um conhecido!? benfiquista, Luís Filipe Borges, dizia que numa viagem às arábias, onde se sentia sozinho e deslocado, sentiu o consolo de uma televisão do Dubai ter noticiado o afastamento do FCPorto das competições europeias. Ao ler tal crónica conclui o seguinte:a) O patriotismo e a "saudade" de Portugal daquele benfiquista acaba onde o azul e branco começa. É legítimo!;b)O sentimento de justiça daquele benfiquista certamente o levará a renunciar à participação do seu clube na 3.ª pré-eliminatória da LC, já que caso aceite participar estará a beneficiar de todos os pontos conseguidos pelo FCPorto com o seu comportamento ilícito;c) O patriotismo da FPF acaba onde o azul e branco começa;d) O FC Porto é, claramente, a única equipa portuguesa com reconhecimento internacional idêntico a um Milão, Juventus ou Real Madrid;e) A UEFA apoveitou a grandeza do FCPorto e o facto de a FPF ser uma federação fraca, com um líder fraco para aplicar uma sanção que sirva de exemplo sem atingir os tubarões do futebol e à revelia de princípios básicos do Direito, como sejam o princípio da não retroactividade da lei quando esta passa a punir um comportamento que antes não era púnível ou o princípio da presunção de inocência até existir caso julgado. P.S. - Não é por ser do Benfica, mas o homem não tem mesmo graça nenhuma.
--
Terça-feira, 17 de Junho de 2008
No lugar que merece.
Tive que ir confirmar no site da UEFA.
É mesmo verdade.
O FCPorto nunca será penalizado com a exclusão da UEFA CL, mesmo que seja condenado pelo CJ. E tenho quase a certeza que o CJ decidirá antes de 1 de Agosto. Deixo aqui a minha teoria da conspiração. Os senhores da UEFA depararam-se com uma situação que nunca tinha ocorrido - o facto de o Comité de Apelo ter arrasado uma decisão da Comissão de Controlo e Disciplina. E todos sabemos que a UEFA não brinca em serviço. Se decidisse pela aplicação de um Regulamento de 2007 a factos alegadamente ocorridos em 2003, com certeza o Comité de Apelo não estava com conversas de caso julgado. A questão da inexistência de caso julgado e a atitude de abutre do SLB foi utilizado pela UEFA como um mero pretexto para não se pronunciar sobre a (não) retroactividade do Regulamento e assim desdizer em absoluto a Comissão de Controlo e Disciplina. Imagino, até, que a UEFA já tenha recolhido junto dos juízes do Tribunal Arbitral do Desporto informações de que um eventual recurso do FCPorto teria sucesso e poria em causa o proclamado rigor da UEFA. Igualmente terá contribuído para que se fizesse justiça, com certeza por outras razões, a pressão dos grandes clubes da Europa (os mais maiores grandes não estão incluídos), nomeadamente o Milan e a Juventus. É por isto, que mesmo que o CJ não dê razão ao FCPorto, o que sinceramente não acredito dada a parcialidade e azelhice do Pavão (outra ave!), nunca a UEFA irá sequer pronunciar-se sobre a queixa do clube mais maior grande. PS: No sábado fui ver o SCP-FCP em juniores. Aproveitei que era em Alvalade e não em Alcochete (tantos Al, são mesmo mouros!) e lá fui. Fiquei triste com o empate-derrota no último minuto de jogo, mas houve um momento em que mais uma vez me orgulhei de ser Portista em Lisboa. Aquando do penalty marcado contra o FCPorto, e no seguimento dos naturais protestos, houve alguém a meu lado que disse "Seus c..., se quiserem apelem para a UEFA." Naquele momento apeteceu-me responder que o FCPorto para ganhar e ir à CL não pede favores a ninguém nem tem atitudes de abutre-calimero. O FCPorto está na UEFA CL por mérito próprio, por ser melhor. Tão simples como isto.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

O ouro italiano e o FCPorto: de Quaresma a Anderson.

Nos tempos que correm, e ao contrário do que aconteceu há mais de uma década com jogadores como Vítor Baía, Fernando Couto ou Sérgio Conceição, jogador que saia do FCPorto, seja ele Deco, Pepe, Postiga ou Fabiano, passa a ser, para mim, apenas mais um potencial adversário. Não quero o Dragão a bater palmas a Deco se alguma vez este marcar no nosso estádio, como acontece por outras paragens.

Tal não implica, porém, que não queira que os jogadores saídos do FCPorto tenham sucesso individual nos seus clubes. É que, por cada caso de sucesso como Deco ou Ricardo Carvalho, o FCPorto ganha capacidade de negociação para futuras transferências. Vem isto a propósito dos prémios atribuídos a Quaresma e a Anderson, antigos jogadores do FCPorto.

Quaresma foi contemplado com o “Bidão de Ouro”, prémio atribuído anualmente pelo programa radiofónico Catersport, da Rai Radio 2, à grande desilusão do campeonato italiano.

Se é verdade que um bidão de humildade nunca fez mal a ninguém, também é verdade que os cofres do FCPorto serão certamente afectados caso Quaresma não vingue em Milão. Por um lado, o valor da transferência está dependente do sucesso do jogador. Será que vamos ficar pelos 18M€, mais Pelé? Por outro lado, em futuras negociações o "prémio" de Quaresma não valorizará propriamente o “produto made in FCPorto”.

O mesmo já não se dirá da transferência de Anderson, que recebeu o prémio "Golden Boy 2008", atribuído pelo diário italiano "Tuttosport" e que consagra o melhor jogador sub-20 do Mundo.

Apesar de tudo, e como se aproxima o Natal, parabéns Anderson.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Justiça...Arbitral.


Mais uma vitória no Tribunal Arbitral do Desporto.

Depois de obter vencimento no processo da Liga dos Campeões, em que o clube de Benfica e o Guimarães foram partes interessadas, interesseiras e, já agora, condenadas, o departamento jurídico do FC Porto conseguiu que Co Adriaanse fosse condenado a indemnizar o clube em cerca de um milhão de euros, por ter rescindido sem justa causa o contrato de trabalho.

Em reacção às arbitrariedades da "justiça desportiva" portuguesa, Pinto da Costa tem, muitas vezes, invocado a Justiça Divina. É caso para dizer que, enquanto a Justiça Divina não é feita - se é que ela existe - Pinto da Costa poderá sempre contar com a Justiça Arbitral.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

FC Hulk 2 - Académica 1

A RTP fez o especial favor de passar o resumo do FC Porto - Académica, logo a seguir ao golo de Anderson na Luz. Contudo, Conduto não se esqueceu de informar que o próximo jogo a ser transmitido em sinal aberto será novamente o do clube de Benfica.

Nesse resumo, vi que Hulk está a ganhar o seu espaço na equipa e que é cada vez mais o alvo a abater pelos adversários. Em três jogadas consecutivas (pelo menos no resumo) Hulk foi agredido com três cotoveladas. Só a primeira deu direito a cartão... amarelo. O jornalista de serviço opinou que o jogador da Académica “teve sorte” em não ter sido admoestado com outro cartão. Depreendo que Hulk e o FC Porto tiveram azar. Jesualdo Ferreira já tinha avisado no final do jogo em Alvalade para a Taça que ia ser assim.

Saltou à vista, também, que existia uma grande pressão sobre Rodriguez para marcar. Aqueles "calduços" fizeram-me lembrar os tempos de Paulinho Santos, Jorge Costa e João Pinto.

Com exibições mais ou menos conseguidas, estou certo que vamos ganhar em Setúbal e na Amadora e alcançar o líder Ben…Leixões.

PS: Quantas capas destas teve Ricardo?

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Paulo Bento tem razão. A arbitragem portuguesa já...


O penalty cometido por Rui Patrício no Sporting - Barcelona de ontem à noite fez-me lembrar o abalroamento de Hulk no último Sporting – FCPorto para a Taça de Portugal, praticamente no mesmo m2 de terreno de jogo.

Paulo Bento tem razão. Continua a ser perseguido pelos árbitros portugueses. Tivesse Bruno Paixão marcado grande penalidade contra o Sporting e expulsado Rui Patrício e este, antecipando o penalty e a expulsão, com certeza não teria abalroado o jogador do Barcelona.

Mas não é só o Sporting que é prejudicado pelos árbitros portugueses nas competições europeias. Tivessem sancionado as sucessivas agressões de Binya no campeonato português e este não teria sido suspenso pela UEFA por seis jogos pela agressão ao jogador do Celtic Scott Brown, em Novembro de 2007.

Realmente, a arbitragem portuguesa já……….. deixa muito a desejar!

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

História diferente.


O FC Porto fez história ao vencer, ontem, em Istambul, o Fenerbahçe por 2-1, garantindo a passagem aos oitavos de final da Liga dos Campeões pela…3.ª vez consecutiva.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Para quando um Clinic Dragon Force em Lisboa?

No fim-de-semana, ao ver, julgo que na RTP 1, a reportagem sobre este “Clinic Dragon Force”, alguém lá em casa ficou cheio de vontade de participar. Lá tive que explicar que aquilo ficava um bocadinho longe e que não era possível. A explicação lá foi aceite e não se falou mais no assunto.

Naquele momento, porém, não me apercebi do nome que deram àquilo que eu pensava ser uma “escola de futebol”. A curiosidade levou-me a visitar o site do clube e li esta notícia: Bruno Alves encantou no Clinic Dragon Force.

Qual escola de futebol, qual quê! Afinal foi “o primeiro Clinic do Dragon Force”. E que funcionou no “Vitalis Park”. E que, além disso, ainda existem “Roadshows” (confesso que tive alguma dificuldade em escrever esta palavra). Depois do “Dragon Seat” não se poderia esperar outra coisa. Será que Pinto da Costa quando escolheu o nome para o novo estádio imaginava que um dia o mesmo poderá vir a chamar-se, oficialmente, “Estádio of the Dragon”?

Será quem em Barcelona também o slogan passará a ser “More than a club”? Tenho a certeza que não. Mas este tipo de considerações deixo para outro post.

Independentemente do recurso à língua inglesa para baptizar as diversas iniciativas do FC Porto, julgo que o mais importante é o conteúdo das mesmas. E constato que, aliado à prática desportiva, o FCPorto está a investir na formação (se assim se poderá chamar) do futuro adepto portista. E é por isso que o “Clinic do Dragon Force” e os “Roadshows” não se deveriam limitar a “vários pontos da região do Porto”. Porque não fazer “uma palestra com conceitos tão importantes como o espírito de equipa e a mística azul e branca” noutros pontos do país e, principalmente, em Lisboa. Assim já não teria que fazer 300Km. Nem eu, nem os milhares de crianças e jovens portistas que vivem em Lisboa. E qual não seria a criança que, mesmo sendo do Sporting e ou Benfica, não participaria de bom grado num “Clinic” portista? E quantas dessas crianças não ficariam, pelo menos, a vacilar entre a vontade dos pais e a experiência de ter estado com o Bruno Alves, o Lucho González ou o Hulk?

A propósito da provável saída de Quaresma, escrevi noutras paragens: “3 - Importância de Quaresma na instituição FCPorto. A vontade da generalidade da "comunicação social" em querer ver sair o Quaresma do FCPorto é tão mais elevada quanto os golos de trivela que marca na Luz. É que mesmo que não queiram têm que o noticiar. E pergunto: desde Mário Jardel, qual foi o jogador do FCPorto que obrigou a "comunicação social" a fazer manchetes com algo positivo sobre o FCPorto? Só mesmo o Quaresma. É que tanto um como o outro faziam ou fazem a diferença não só em campo mas também perante a generalidade dos adeptos, sejam eles de que clube forem. E isso é muito importante para os jovens adeptos na escolha do seu clube. Ainda para mais em Lisboa, realidade que vivo diariamente. Quantos miúdos em Lisboa e em todo o País não quiseram “voar sobre os centrais” como o Jardel (vejam lá, até um benfiquista cantou Jardel) ou não querem fazer uma trivela à Quaresma!? Jogadores como Quaresma não são só importantes para marcar golos dentro do campo. São também importantes para marcá-los fora do campo, conseguindo mais adeptos junto dos mais jovens, não só em Portugal, como no Mundo. E julgo que é para isso que o FCPorto tem vindo a trabalhar. Ter os melhores jogadores para ganhar mais vezes que os outros e por isso ver a sua qualidade ser reconhecido por todos (pelos menos internacionalmente).”

Ora se, por questões económicas e de reduzida dimensão do futebol português, não conseguimos manter jogadores como Quaresma, é essencial encontrar soluções que promovam o FCPorto no País e o Mundo. Por isso, parabéns pela iniciativa.

PS: Será que o nome em inglês quer dizer alguma coisa!!?

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Brasil 2 - Portugal 1

Ao intervalo. Dany 0-1, 4m, Luís Fabiano 1-1, 7m, Luís Fabiano 2-1, 25m.

Os brasileiros realmente são de outro mundo.

Jogadores que já passaram pelo FC Porto: Luís Fabiano (como é possível ter andado um ano a dormir!), Pepe, Deco, Anderson. Diego ficou no banco.

Diz Luís Sobral que Cristiano Ronaldo andou a dormir.

Entra Raul Meireles para a 2.ª parte.

Sai D e I entra N e I fica AN. NANI ganha o primeiro pontapé de canto da 2.ª parte.

KáKá não anda a dormir.

Em Janeiro se saberá.

Os legados de Vítor Baía


Ao comentar um jogo do FC Porto na SIC Notícias, Jorge Batista afirmou que Vítor Baía era uma farsa, uma ilusão enquanto jogador de futebol. Sabendo certamente que Vítor Baía era, já na altura, o jogador de futebol com mais títulos em todo o mundo, o jornalista de serviço aparece, no plano seguinte, visivelmente constrangido com aquela afirmação.

Aqui fica o legado de Vítor Baia enquanto jogador de futebol:

- 10 Campeonatos Nacionais (Portugal): época 89/90, 91/92, 92/93, 94/95, 95/96, 98/99, 02/03, 03/04, 05/06 e 06/07
- 5 Taças de Portugal (Portugal): 90/91, 93/94, 99/2000, 02/03 e 05/06
- 8 Supertaças Cândido de Oliveira (Portugal): 90/91, 91/92, 93/94, 94/95, 99/00, 02/03, 03/04, 05/06
- 2 Taça do Rei (Espanha): 96/97 e 97/98
- 1 Liga (Espanha): 97/98
- 1 Supertaça de Espanha: 97/98
- 1 Taça das Taças (UEFA): 96/97
- 1 Supertaça Europeia (UEFA): 97/98
- 1 Taça UEFA (UEFA): 02/03
- 1 Liga dos Campeões (UEFA): 03/04
- 1 Taça Intercontinental (FIFA): 04/05


Mas porque a vida não é só futebol, fica aqui o link para o legado mais importante de Vítor Baía: http://www.vitorbaia.com/

terça-feira, 18 de novembro de 2008

O legado de Scolari

Em vésperas de mais um jogo da selecção, desta feita no Brasil, e após a última entrevista de Carlos Queiroz em que este lamenta a falta de solidariedade do seu antecessor, julgo que é oportuno fazer uma retrospectiva da passagem de Scolari pela selecção nacional.

Para memória futura, criei um espaço chamado "O legado de Scolari por Luís Freitas Lobo", em que este comentador conclui que para o futuro do futebol português Scolari deixou uma mão cheia de nada.

Para ouvir, aproveitem a mão virtual e dêem-lhe com força. É já aqui ao lado.


Ou então aqui em baixo.

video

sábado, 15 de novembro de 2008

O balão de Miguel Guedes

No rescaldo da vitória do FC Porto em Kiev, em resposta à pergunta de uma jornalista da Antena 1 de que se aquele resultado era um balão de oxigénio para a equipa, Miguel Guedes respondeu que não. Que era, sim, um balão de ar porque o oxigénio é inebriante.

Espero que as vitórias em Kiev e Alvalade não tenham tido somente um efeito passageiro de balão de oxigénio. A prova terá que ser dada mais logo com uma vitória contra os vizinhos de Vizela, para que possamos dizer que no FC Porto vencer é tão natural como respirar.

Yes, we must.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Ele há coisas...

Jorge Maia, em O Jogo.
Sentido de oportunidade Evangelista
Eu não acredito em coincidências, mas que as há, há. Os jogadores do Estrela da Amadora, que têm os respectivos ordenados em atraso desde o início da temporada, admitem ao fim de oito jornadas fazer greve no próximo jogo, por sinal uma deslocação ao Estádio da Luz. Fazem-no incitados por Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato dos Jogadores. Ora, parece-me justo que os jogadores defendam os seus direitos e que o façam por todos os meios ao seu alcance, reconhecendo que, em última instância, o recurso à greve não pode ser excluído como justa forma de luta. Registo apenas a coincidência depois de quase três meses de competição, com sete jornadas disputadas e depois de várias intervenções bem mais moderadas, Joaquim Evangelista surgir agora tão empenhado na marcação de uma greve. Um empenho semelhante ao demonstrado em 2005 quando estavam em causa os salários em atraso no Vitória de Setúbal, embora aí o presidente do Sindicato dos Jogadores tenha esperado até à 14ª jornada para forçar a apresentação do pré-aviso de greve. Coincidentemente, antes de um jogo com o Benfica. Ele há coisas…

http://www.ojogo.pt/24-265/artigo760531.asp

Afinal a evangelização já vem de trás. Quem diria.

Se bem me lembro, no Vitória de Setúbal de 2005, tal como agora no Estrela da Amadora de 2008, os jogadores não ganhavam para comer, mas ganhavam em campo. Isto realmente é só coincidências.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

A greve dos jogadores do Estrela da Amadora e o efeito útil de Joaquim Evangelista.

Ia no carro quando ouvi o presidente do Sindicato dos Jogadores de Futebol Joaquim Evangelista defender que os jogadores do Estrela da Amadora deveriam, o quanto antes, avançar para a greve, justificando tal decisão com a gravidade da situação económica dos jogadores e o comportamento da direcção do clube que, segundo ele, roçaria o ilícito.

Acrescentou o presidente do Sindicato dos Jogadores que, para o protesto laboral produzir algum efeito útil, os jogadores deveriam fazer greve quando o calendário lhes opusesse um dos três grandes.

“Eh pá, se estão à espera que lhes calhe algum grande, o momento da greve fica dependente do calendário e já não será assim tão urgente!”, pensei eu, em voz alta.

Então não é que, por ironia do destino, o calendário até ajuda os jogadores do Estrela da Amadora. O jornalista, parecendo ouvir as minhas palavras, logo esclareceu a minha dúvida: o jogo do próximo fim-de-semana será contra o Benfica.

Respirando fundo, pensei: “Pronto, assim já estou mais descansado. Os jogadores do Estrela da Amadora vão conseguir resolver o problema dos salários em atraso já neste fim-de-semana e sempre se verá algum efeito útil além dos três pontos oferecidos ao clube de Benfica”.

Feliz coincidência.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Os processos disciplinares da Liga e as TIC

A CD da Liga decidiu arquivar o inquérito decorrente da participação do Benfica contra Cristian Rodriguez, porque a conduta do jogador do FC Porto não assumiu “o mínimo de dignidade disciplinar” nem “revelou uso excessivo da força ou violência”.

A maior parte das pessoas concordarão que o toque de Rodriguez não poderá ser considerado agressão, até “perante o nível de confiança necessariamente existente entre os jogadores” como aponta o instrutor do processo.

Mas nem sempre tal acontece. Se bem me lembro, na primeira-mão da meia-final da Liga dos Campeões que o Porto venceu, Jorge Andrade foi expulso por ter dado um toque com o pé em Deco, quando este estava no chão, após uma falta perfeitamente normal no meio campo. Como toda a gente percebeu, aquele foi um toque entre dois amigos e não qualquer agressão ou sequer provocação. Mas por muito que Jorge Andrade explicasse ao árbitro “he’s my friend”, este, desconhecedor do contexto, expulsou-o.

Ou seja, a diferença foi que, no caso de Rodriguez, o instrutor conhecia a relação de confiança entre os dois jogadores, no caso de Jorge Andrade, o árbitro desconhecia tal facto.

Mas a justeza do arquivamento do inquérito disciplinar, não afasta o precedente que foi criado com a sua abertura.

Na fundamentação de facto, o instrutor afirma que “os factos apurados durante o inquérito resultam, em grande medida, das imagens gravadas em DVD fornecidas pela Benfica SAD”, ou seja as imagens obtidas pelo célebre L.O.R.D., e que o professor Seara, servindo de paquete, levou à SIC Notícias para retransmissão.

Tem-se concluído, com razão, que a aplicação de castigos com base em imagens televisivas prejudicam os três grandes em relação às outras equipas já que os seus jogos são sempre televisionados.

A aceitação da CD da Liga das imagens do L.O.R.D. benfiquista como prova em processo disciplinar possibilitará, em última análise, que um vídeo feito por um espectador com o seu telemóvel seja usado para punir um jogador.

É o que se chama a democratização do procedimento disciplinar com base nas novas tecnologias da informação e comunicação.

http://www.lpfp.pt/Pages/Inicio.aspx

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Para que o passivo não nos faça viver do passado.

SAD do F. C. Porto quadruplica lucros

Numa semana difícil a nível desportivo, o F. C. Porto anunciou resultados financeiros muito animadores. Em 2007/08, a SAD teve um saldo positivo de oito milhões de euros. E a venda de Quaresma ainda não entra nas contas...
A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) divulgou ontem o Relatório e Contas da SAD do F. C. Porto relativo à época de 2007/08 (período entre 1 de Julho de 2007 e 30 de Junho de 2008), registando um lucro de oito milhões de euros, o que representa um aumento significativo relativamente aos 2,3 milhões obtidos em 2006/07. Os resultados apresentados não incorporam, ainda, os valores da venda de Quaresma ao Inter de Milão (18,6 milhões de euros, mais o passe de Pelé, avaliado em seis milhões), que serão contabilizados apenas no exercício de 2008/09, o que permite aos responsáveis portistas encarar com optimismo as contas da próxima temporada.
"O F. C. Porto insiste em vencer, mas fá-lo com sentido de responsabilidade, preservando os seus valores mais sólidos e antecipando um futuro seguramente auspicioso. O título de campeão, o terceiro consecutivo, reforçou a hegemonia interna e projectou as nossas cores para nova aventura europeia. A Champions League, de resto, é a 'nossa' competição", diz Pinto da Costa, no comunicado emitido pela CMVM.
Recorde-se que, em 2005/06, a SAD azul e branca registou prejuízos, num cenário bem diferente do actual. O Activo Total da SAD portista regista, agora, um montante de 158,8 milhões de euros, crescendo 26% em relação a 30 de Junho de 2007, enquanto o Passivo cresceu para 141,1 milhões, mas manteve a sua estrutura estável. De referir, ainda, que o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) cresceu de 28,5 milhões para 33,4 milhões.
Para estes resultados, contribuiu o desempenho positivo das empresas associadas à SAD, como a Porto Comercial, a Porto Estádio, a Porto Multimédia e a Porto Seguro, mas sobretudo as transferências de Pepe para o Real Madrid e de Bosingwa para o Chelsea.

FC Porto: SAD aumenta passivo

O FC Porto aumentou o passivo de 116 para 141 milhões de euros, apesar do saldo positivo de oito milhões nas contas relativas a 2007/08. Nos resultados comunicados ontem à CMVM, os dragões apresentam a entrada de 35 milhões de euros da venda de jogadores, não estando incluída a saída de Quaresma para o Inter de Milão.


A notícia do JN, pelo seu título e pela forma como está redigida, incomoda-me. Incomoda-me porque parece querer veicular aquilo que um Portista gostaria que fossem as contas do clube e não aquilo que elas realmente são. Neste caso, dada a disparidade de tratamento da informação em relação ao CM, é caso para dizer: Bem te avisa quem teu inimigo é!

Não podemos aceitar que o Jornal de Notícias faça o papel da Bola, do Record ou do Correio da Manhã, promovendo algo que não existe ou manipulando a informação para parecermos aquilo que não somos. Só conhecendo a realidade é que podemos melhorar o que está mal. Caso contrário, passaremos a viver uma ilusão.

Dito isto, como é possível o passivo da SAD continuar a aumentar, ano após ano, não obstante termos tido, ano após ano, largas receitas da Liga dos Campeões – prémios, transmissões televisivas e transferência de jogadores! Como vai ser quando a torneira fechar? Será que vamos ser campeões todos os anos e atingir pelo menos os oitavos- de-final da Liga dos Campeões. Por muito que o desejemos, sabemos que tal não vai ser possível.

Acresce que as novas regras da Liga dos Campeões para o acesso à fase de grupos dos segundos classificados vêm dificultar a vida aos clubes portugueses. E não estando na Liga dos Campeões, como vamos continuar a vender defesas laterais a 20M€ e defesas centrais a 30M€. Repare-se que a que é agora a defesa da Selecção Nacional rendeu ao FC Porto, em 4 anos, 100M€: Paulo Ferreira – 20M€, Ricardo Carvalho – 30M€, Pepe – 30M€ e Bosingwa – 20M€. Olhando para o actual plantel do FC Porto, onde vamos conseguir receitas idênticas e quantas vezes seremos campeões nos próximos anos?

Porque não quero que o Dragão passe a viver das conquistas passadas, como noutras paragens vem acontecendo, decidi ser, a partir de hoje, não só uma voz de apoio ao FC Porto contra as “chamas imensas” do passado, mas também uma voz atenta ao que se vai passando no nosso clube, como de resto deve ser a postura de todos aqueles que vivem o FC Porto e que querem a sua evolução qualitativa.