quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Visão. É preciso ter.

Como agora para a Visão uma das principais fontes de notícia é o YouTube, aqui o estaminé  também foi lá parar. 

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Mouros em solo sagrado!

aqui se chegou  à conclusão que o Benfica na Liga dos Campeões é uma coisa contra natura.  Hoje mais uma vez se confirma. O Benfica a pisar o palco onde o Porto foi pela segunda vez campeão europeu dá que pensar.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Manda vir mais!

Ontem, na despedida oficial do Verão, a beber uma SuperBock, lembrei-me de Villas-Boas e de Jorge Jesus. O primeiro a mandar vir mais uma vitória. O quinto a mandar vir com mais um árbitro.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

"Neo" André... e Vítor Baía com tempo livre.

Não haverá portista que não esteja entusiasmado com a equipa. Não só pelas 9 vitórias em 9 jogos mas também, e principalmente, pela ideia de larga margem de progressão com que ficamos. Foi com agrado que recebi a notícia de que André Villas-Boas era o treinador. Talvez por ter mais ou menos a mesma idade e saber o que é confiarem-nos uma responsabilidade que à partida deveria ser assegurada por alguém com mais experiência. Não há experiência!? há observação, estudo e, acima de tudo, motivação. Ainda para mais quando nos sentimos emocionalmente integrados na organização. Mas o que é certo é que Villas-Boas, apoiado numa direcção que nunca perdeu o norte - honra lhes seja feita - ultrapassou todas as minhas expectativas e tornou-se o principal pesadelo de toda a matrix em que vive o futebol português. O nosso Neo.

PS: Se houve jogador que admirei foi Vítor Baía, até porque sempre "sonhei" defender a baliza do nosso clube. Costumo dizer meio a sério, meio a brincar que deixei o futebol na altura em que Vítor Baía agarrou a titularidade no Porto, já que a mesma estaria bem entregue! Por isso, se há coisa que me entristece é esta nuvem negra que pairou na saída de Baía do Porto. Uma coisa é certa; Baía já arrumou a casa na sua Fundação durante o Verão, para já estar disponível para a FPF.

Onde é que posso assinar?

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Vítor Pereira à Capela.

Depois de convocar uma conferência de imprensa para "provar" que é imune às pressões da Instituição, Vítor Pereira nomeia o fiscal da EMEL João "autógrafos de jogadores do Benfica" Capela para o Marítimo-Benfica. Estaremos perante um novo João "pode ser"?

Já em Abril de 2009 me chegou aos ouvidos isto: E o árbitro do FCPorto - Estrela Amadora é.... benfiquista.



terça-feira, 21 de setembro de 2010

FC Porto ao som da Lazytown!

Jogos na TV em sinal aberto à hora em que devemos estar com os petizes a passar o chamado "tempo de qualidade" tem destas coisas. É juntar o útil ao agradável. Tiramos o som à televisão, deixamos de ouvir Valdemar Duarte - pelo que já li por aí, anda um bocadinho em baixo - e pomos bem alto o cd da Vila Moleza. E é um fartote! Ver o Hulk a correr e a driblar ao som do Sportacus é outra coisa.

Quanto à bola propriamente dita, 9 jogos, 9 vitórias. Depois desta vitória na Madeira, se alguns ainda tinham esperança de que Villas-Boas estivesse com sorte de principiante, essa esperança começa a tornar-se ansiedade. Lá pelo Natal, ou muito engano, a ansiedade tornar-se-á uma profunda depressão que nem uma capa da Bola conseguirá superar.

domingo, 19 de setembro de 2010

O que me irrita nos benfiquistas!?

Nada mais nada menos que a arrogância sem limites. A generalidade dos benfiquistas pensa, por exemplo, que ainda têm mais campeonatos que o Porto e o Sporting juntos. Isso já lá vai há muito tempo. E não volta. Mas eles ainda não deram conta disso. Sabemos que não são propriamente ajudados pelo grosso da comunicação social, que teima em manter a ilusão. Provavelmente é essa arrogante ilusão o segredo do seu insucesso. Por isso, viva a ilusão benfiquista!

Ao contrário do que afirma o ilustre daqui de baixo no vídeo original, não odeio o Benfica. O ódio é um sentimento que no desporto não deve ter lugar. Em relação a tudo o resto...mais palavras para quê?

sábado, 18 de setembro de 2010

De Fernando Couto a Bruno Alves.

Estávamos em meados da década de 90, no rescaldo dos mundiais de juniores de 89 e 91, quando a chamada geração de ouro começou a ser exportada. Se bem me lembro, os primeiros a sair foram Rui Costa, Paulo Sousa e Fernando Couto, para a Fiorentina, Juventus e Parma, respectivamente. Destes, obviamente, o que foi mais "sentido" foi Fernando Couto que iria reencontrar Vítor Baía em Barcelona, tal como Figo. Foram estes jogadores, fundamentalmente, que inauguraram a razia dos talentos portugueses no campeonato português. Razia essa agravada dois ou três anos mais tarde com o acórdão Bosman. Mas onde eu queria chegar, era ao "sentimento" de perda de Bruno Alves, em contraponto a Fernando Couto. Ambos se impuseram pela sua postura agressiva, mas leal. Pela entrega ao jogo e ao clube. Mas na hora da saída, encontramos diferenças. Talvez porque os tempos são outros, Bruno Alves não se coibiu de demonstrar a sua vontade de sair pelo menos neste último ano, comprometendo muitas vezes a equipa. Talvez por isso quando via Lula ou Gaspar no centro da defesa sonhava com o regresso de Fernando Couto. Agora que vejo Maicon a revelar-se e Rolando a confirmar-se só consigo sentir um forte alívio por não ter que ouvir novamente Washington na TSF ou na Antena 1.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Eu bem dizia...

Que era contra-natura o Porto jogar na SIC. O grande José Augusto teve oportunidade para gritar pelo Nico!

Tranquilidade à la Jardel!

Ao ver jogar este Porto de André Villas-Boas, (3-0 ao Rapid de Viena) voltei a sentir algo que desde que o Jardel deixou o Porto não voltei a sentir. Como diz a música, I gotta feeling cada vez que o Porto joga e esse feeling é de que mais cedo ou mais tarde o golo da vitória aparecerá. Com tranquilidade.

Só por uma vez vi o Jardel a jogar ao vivo. Quis o "destino" que estivesse atrás da baliza do último grande guarda-redes da família Galaró quando marcou um dos seus melhores golos em Portugal.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Paciência!

Ó Domingos, paciência, acontece aos melhores. Espero bem que daqui para a frente seja diferente. É que daqui a três jornadas vão ao galinheiro e lá tem que, finalmente, puxar dos galões de vice-campeão. Vá lá, já passou!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Liga Europa: Como recuperar um troféu que ganhámos, não perdemos mas que também nunca ganhámos?

Ganhámos a Taça Uefa na última vez que por lá andámos. Depois disso, porque nunca lá pusemos os pés, nunca a perdemos, como refere o Público. Mas como entretanto a dita foi redenominada, também nunca a ganhámos!

Há sete anos foi assim.


terça-feira, 14 de setembro de 2010

Contra-ataque dos Calimeros.

Depois da Instituição, parece que o Sporting também reuniu o plenário dos órgãos sociais. Vem agora o presidente da Assembleia-Geral, o causídico Rogério Alves, queixar-se de que os chamam calimeros e que não querem ser nem bodes nem cordeiros

É caso para perguntar onde andam Vieira e Bettencourt. A fazer as coisas por outro lado?

O Benfica, 13.º classificado, com três pontos, e o Sporting, quinto, com sete, defrontam-se domingo, às 20h15, em encontro da quinta jornada da Liga portuguesa de futebol. 

Hap...Hap...Hapoel!!!

Suicídio colectivo ou meninos mimados?

A cada dia que passa -  desde que Roberto se estreou na baliza do Benfica, desde que Ramirez saiu da luz, desde que Di Maria passou a ser suplente em Madrid, desde que Jesus (agora de Nazaré) deixou de ser o messias, desde que o ponta-de-lança na Liga Ricardo Costa passou a ser apenas um escriba do Record – a Instituição Benfica e os seus dirigentes e adeptos acéfalos (sim ainda há adeptos do Benfica que não gostam que lhes atirem areia para os olhos, são poucos mas ainda há) fazem-me lembrar aqueles suicídios colectivos das baleias. Dizem que esse trágico fenómeno da natureza, não é mais do que isso: um fenómeno natural. Pensa-se que os cetáceos ficam desorientados. Se calhar também é isso que acontece à Instituição quando deixa de ter uma referência na Liga. Foi isso que aconteceu a seguir ao campeonato “Cunha Leal”, mais conhecido como “Estorilgate” e pelos vistos está a acontecer depois do campeonato “Ricardo Costa”, mais conhecido como “campeonato dos túneis”. Ou então não. Se calhar são só meninos mimados a quem se tira um chupa e começam a berrar. 

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

E o polvo, pá!?

Queiroz vai para a rua porque afinal não atingiu os objectivos. Engraçado, em Julho a conversa era outra. Parece que afinal não tem contrato de trabalho, mas sim uma prestação de serviços. Como? Então para quê processos disciplinar. O processo disciplinar existe para aferir da existência de uma infracção disciplinar com vista à aplicação de uma sanção. Mas tudo isto decorre do pressuposto de existir subordinação jurídica, o que só ocorre ao abrigo de um contrato de trabalho. Mais uma vez o chico-esperto do Madaíl no seu melhor, para sair de fininho do buraco onde se meteu e onde meteu a selecção. Madaíl, qual animal invertebrado - como o polvo - consegue passar por onde mais ninguém passa, dobrando-se como mais ninguém dobra. Ou manobra. Está na hora, está na hora, do Madaíl ir embora. E eu que não posso com polvo. Só de olhar faz confusão. E o cheiro! Arrgg!